Blog

Blog

Março amarelo - mês da conscientização sobre doenças renais

O QUE É?  E INCIDÊNCIA
Entre cães e gatos a doença renal crônica - DRC é uma das que mais mata. Estudos apontam que ela atinge 1 entre cada 3 gatos e 1 a cada 8 cães. 

Afinal, o que é a DRC? A doença renal crônica é um processo em que o rim gradualmente perde sua função.

 E qual a função dos rins?
-  filtrar o sangue e produzir urina
-  eliminar toxinas do corpo
-  regular a pressão arterial
-  controlar a quantidade de sal e água no organismo

Não há idade para a DRC e várias podem ser suas causas. Além disso, os rins também envelhecem e com a idade eles passam a perder massa funcional.

SINAIS
Entre os sinais mais comuns estão:
- aumento da sede e do volume de urina
- diminuição do apetite
- a perda de peso
- infecções bucais
- halitose
- diarreia
- vômito
- prostração
- queda de pelo
- infecções urinárias
- xixi fora do lugar

CAUSAS E PREVENÇÃO
O cão precisa ingerir em media 50 ml/kg/dia e o gato em torno de 30 ml/kg/dia. Em geral, isso não ocorre, principalmente entre os gatos, por isso é importante incentivar o consumo de água por meio de fontes, vários potinhos de água distribuídos pela casa, consumo de alimentação úmida como sachês e patês de qualquer marca ou sopões de peixes diariamente.

Mas não e só a hidratação inadequada que pode causar a DRC. Idade avançada, inflamações crônicas, abuso de remédios, pressão alta, toxinas, doenças como piometra, erliquiose e cistites de repetição, predisposição racial, defeitos congênitos, cálculos renais e até tártaro podem ser vilões para os rins.

A DRC é classificada em estágios (I, II, III, e IV) segundo as diretrizes do International Renal Interest Society (IRIS). Nos estágios iniciais da doença pode não haver sinais, por esse motivo a DRC é considerada silenciosa e perigosa, pois ela progride. Os sintomas geralmente começam a aparecer quando a doença já está bem avançada e em torno de 75% dos rins já não funcionam.

Por isso é preciso levar o seu bichinho periodicamente ao veterinário bem como a qualquer sinal de alteração de comportamento habitual.

Um simples exame de sangue pode detectar o início da doença renal. São dosadas ureia, creatinina, fósforo, potássio e SDMA. Também complementam urinálise, ultrassonografia abdominal e aferindo a pressão arterial.

O teste de dimetilarginina simétrica (SDMA) pode apontar a doença no estágio inicial. Esse diagnóstico precoce diminui as chances de evolução da doença e o tratamento e controle podem propiciar uma boa qualidade de vida ao seu bichinho.

TRATAMENTO
O tratamento considera o grau e a evolução da doença e deverá seguir sempre a indicação de um veterinário especialista que poderá prescrever medicamentos orais específicos, nutracêuticos - ômega-3, vitaminas e probióticos.

O especialista veterinário ainda indicará o uso de ração comercial específica ou de dieta caseira balanceada restrita em fósforo e com menor teor protéico. A dieta úmida é essencial para ajudar com a hidratação e a eliminação de toxinas.
 
E fique sempre de olho na saúde bucal do seu pet.  A doença periodontal é hoje uma das principais causas de insultos renais.

LEMBRE-SE,  qualquer alteração de comportamento, vômito ou diarreia, leve seu pet ao médico veterinário. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais tempo seu bichinho ficará ao seu lado.

©2020 Marcelinho Protetor. Todos os Direitos Reservados.

Search